Tags

, , , , , , , , , , , ,

Oi gente (:

Depois do post com váarias dicas do DJ Nizo Gomide sobre a música na hora da Cerimônia (aqui), hoje estamos trazendo dicas para a hora da Festa!! Isso mesmo, não é simplesmente “deixar a lista música rolar” não, rs. É bom pensar nos convidados na hora de escolher alguns estilos de música.

Vamos aprender com alguém que entende realmente do assunto!

A FESTA
A pista de dança determina o sucesso da festa de casamento. Por ser um dos serviços que mais visíveis, a escolha do DJ/Banda/atrações deve ser feita com atenção, pesquisa e muita antecedência, os profissionais mais renomados chegam a ter uma antecedência de até 25 meses na suas agendas. Como existem inúmeras opções no mercado, é importante tomar cuidado pra não cair na cilada de contratar um profissional levado pelo preço. Ser caro não significa ser bom, mas sabidamente o barato pode sair (muito) caro. Surgem amadores diariamente no mercado da música, especialmente como DJ’s.
Se vc tiver ido a alguma festa (e gostado obviamente) onde o profissional trabalhou, ou tem alguma referência de algum amigo, a procura fica mais fácil.
 
Bandas costumam tocar por um prazo pré-determinado entre 02 e 05 horas com repertório mais limitado.
Se os noivos já conhecem o trabalho da banda, seja ela uma banda de baile (que toca todos os estilos) ou uma banda com um estilo pré-definido (Rock, POP, Sertanejo por exemplo), consultem um produtor musical ou o produtor do evento sobre a opinião deles sobre essa performance durante a pista… se conjugada com um DJ, acompanhando o timing da festa, pode funcionar bem, se acontecer sem o planejamento adequado, pode arruinar a pista.
 
Um DJ profissional é imprescindível em qualquer festa atualmente, é ele quem garante que teremos música boa do início ao término da festa, independente de haver ou não alguma banda/artista contratado para um período determinado… se uma banda por acaso te oferecer um DJ incluído no preço do serviço, pode desconfiar e perguntar um pouco mais sobre a experiência dele no assunto… muitas promovem o técnico de som a DJ na hora da festa, cilada grau máximo, cuidado.
 
O som é o oxigênio da festa. Se não for bem dosado em quantidade (volume) e qualidade, pode não atender às expectativas, chegando a irritar alguns convidados e encurtar sua permanência na festa.
 
Sobre os DJ’s, é importante existir uma boa sintonia entre os noivos e o profissional. É um erro fazer a escolha só porque ele é badalado no mercado. Se não houver afinidade, não vai rolar de forma tão positiva
Além das afinidades pessoais e musicais, os noivos devem levar em consideração a experiência, o tempo que está estabelecido no mercado e o tipo de aparelhagem utilizada ou exigida pelo profissional, um determinante da qualidade dos serviços. 
Atualmente existem equipamentos de alto nível disponíveis, com processamento e controle digital para que o som fique regulado em níveis ideais, bem distribuídos por todo o ambiente e com a pressão correta na pista de dança. Naturalmente um sistema TOP vai custar um pouco mais no final, mas a qualidade é muito superior, acrescenta muito ao evento.
 

Balada vs. Casamento
Noivos mais jovens gostam de optar por DJ’s renomados, habituados a clubs e baladas, para tocar no grande dia. Mas o público de um casamento passa longe do perfil dos frequentadores de clubes noturnos. Um DJ assim como atração é super legal, mas o DJ especializado é imprescindível… o mix de convidados é muito variado em faixas etárias e gostos musicais e a programação musical pode facilmente atender a todos se houver um planejamento bacana. Prestigiar os pais e seus amigos (que fazem parte da história dos noivos) especialmente na primeira hora de pista é uma sugestão que costuma trazer bons resultados, eles normalmente acabam indo embora um pouco mais cedo, enquanto os mais jovens fervem na pista até o último suspiro, não motivo pra ter pressa no início, basta deixar o profissional da música administrar a sequência e deixar a pista rolar, todos devem se divertir numa festa. Isso não significa que a festa precisa ser chata ou retrô, basta escolher o repertório e versões corretas.
Em algum momento podem haver ‘músicas para dançar junto’, Bossa/Lounge para a recepção… para a pista, um misto de músicas atuais, estilos genuinamente brasileiros e flashbacks, sempre com batidas pulsantes, o que dá o tom alegre da pista são bem-vindos.
 
Para que tudo saia como o esperado, o casal deve ter uma reunião bem aberta com o profissional contratado (aproximadamente 3 meses antes da festa), para acertar todos os detalhes e personalizar os momentos especiais.
 
Uma pista com noivos e convidados animados, bebida e um DJ experiente durante tranquilamente 6 horas, já cheguei a um extremo de tocar por quase 9 horas (de pista), fora recepção e jantar.
___
É isso aí gente! Gostaram das dicas? É bom pensarmos bem na hora de escolher o profissional que cuidará da música no casamento. Há muito mais coisas envolvidas além da “lista de reprodução” né? rsrs
assinatura_jessica-33
Anúncios